Paisagem panorâmica da cidade.

img 20190122 071727851 hdr2

img 20190217 184920491 hdr2

img 20180530 0703325932

img 20190409 175521106

 

‘Sou minha própria paisagem; Assisto à minha passagem, diverso, móbil e só, não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo como páginas, meu ser. O que segue não prevendo, o que passou a esquecer. Noto à margem do que li o que julguei que senti.
Releio e digo : “Fui eu ?”
Deus sabe, porque o escreveu.’

Fernando Pessoa

A fotografia de natureza é um amplo tema fotográfico que visa representar fenómenos ou agentes naturais (plantas, animais, paisagens, fenómenos meteorológicos, pequenos pormenores, entre outros).

+ https://pt.wikipedia.org/wiki/Fotografia_de_natureza

 

😊

Anúncios
Publicado em Arte, cultura, educação, Entretenimento | Marcado com , , | Deixe um comentário

Gosto de pintar

Pintar com material barato, sem pretensão, em qualquer mídia, pela alegria do exercício.

Quer pintar?! Compre material barato e pinte. Existem milhares de tutoriais em blogs e sites, no Youtube mostrando o passo a passo.
Usando a facilidade dos plicativos de desenho, pintura, animação, use a criatividade, dê vazão das idéias. Permita-se a felicidade de sentir-se criança, artista. Divirta-se!
🤗

Publicado em Arte, cultura, educação, Entretenimento, Hobbies | Marcado com , , | Deixe um comentário

Nada mais precisa ser dito.

“Balada Para um Ex-Amor”, de Oswaldo Montenegro.

Fala da sua dor, que eu conto o que passei
O tempo passou por nós como o vento
Quebrando o telhado que abriga a esperança
Ri desse nosso amor meio bandido e rei
Fala com a minha voz
Quero ver nosso passo trocado bailar nossa dança
E você sabe que me preparou pra paixão que virá
Pode ser que machuque o coração não poder mais voltar
E serenos de tanta dor, esgotados de tanta paz
Nos veremos de longe
E a cor do passado não existe mais
E tudo o que não durou era pra não durar
Leva o que te restou
Que comigo eu levo o que cabe e não pesa e nem cansa
E tudo o que não falou era pra não falar
E tudo o que nos sobrou é o espaço onde a gente não cabe
E a memória não alcança mais

E serenos de tanta dor, esgotados de tanta paz
Nos veremos de longe
E a cor do passado não existe mais
E tudo o que não falou era pra não falar
E tudo o que nos sobrou é o espaço onde a gente não cabe
E a memória não alcança mais

👏👏👏

Publicado em Arte, cultura, Música | Marcado com , , | Deixe um comentário

São Francisco de Assis

“Senhor,

Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!

Ó Mestre,

fazei que eu procure mais:
Consolar, que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
É morrendo, que se vive para a vida eterna!”

Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis. Uma “luz que brilhou sobre o mundo”, de acordo com Dante Alighieri.

🤗

Publicado em cultura, educação, Notícias e política | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O que há sob os quilometros de gelo da Antártida.

A verdadeira história foi perdida na “noite dos tempos”. O que as escavações e descobertas científicas irão nos contar?!

Ao assistir o documentário Antártida do Canal History, disponível no YouTube,
me lembrei do Livro “A noite dos tempos” do francês René Barjavel, que li e reli ao longo da vida. O tinha perdido quando me mudei em 91 mas, encontrei um exemplar num sebo local e está até hoje comigo. Muitas descobertas tecnológicas que dispomos, já eram descritas nele em 1968.
A invenção de um tradutor simultâneo, já estava em sua trama, uma década antes do que foi previsto por Douglas Adams em “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, de 1979.

Título Original: “La Nuit des temps”
Origem: França
Ano de publicação: 1968. Existem exemplares a venda na “Estante Virtual” https://www.estantevirtual.com.br/livros/rene-barjavel/a-noite-dos-tempos/4019524463

“O enredo deste romance é tão absurdo e fascinante quanto à própria realidade”.

Tudo se passa no continente Antártico, onde pesquisadores franceses descobrem um sinal que é emitido das profundezas do solo. Com a ajuda de quase todas as nações da Terra, cria-se uma expedição com os maiores sábios técnicos de diferentes áreas e de todas as partes do mundo e inicia-se uma jornada ao centro do Pólo Sul.

A fantásticos mil metros de profundidade de gelo e rocha, descortina-se aos olhos da humanidade restos de uma civilização muitíssimo mais avançada, congelada a novecentos mil anos. A galeria aberta no gelo conduz a expedição a um abrigo, onde dormem congelados, há 900 mil anos, um homem e uma mulher.

Assim começa a narrativa de um amor apaixonado, que nem mesmo a morte pôde destruir.

Elea e Paikan

A partir daí desenrola-se toda uma trama, na qual se assiste a fraqueza da alma humana, amores impossíveis, traição e desastres atômicos, mostrando a realidade do mundo daquela época, quando a insensatez da corrida armamentista igualou uma sociedade (que se achava) supertecnológica à dos tempos da Pedra lascada.

Atribui-se à René o paradoxo principal de viagens no tempo, quando o viajante altera algo significativo em seu passado, provocando rupturas e inconsistências em todas as linhas de tempo derivadas. René foi o primeiro escritor de ficção-científica a abordar profundamente o assunto e chamou este paradoxo de grandfather paradox (Se você voltar no tempo e matar seu avô para evitar que você nasça, como você seria capaz de voltar no tempo para matar seu avô?). Embora não muito conhecido do grande público, René tem uma série de obras muito relevantes no gênero e vale a pena conhecê-las!

“A Noite dos Tempos” foi publicado em 1968 e conta a estória de uma expedição francesa na Antártida. Abaixo de quilômetros de geleiras e água, a expedição encontra uma cápsula de ouro com dois seres humanos congelados dentro, datados de 900 mil anos atrás, ou seja, “na noite dos tempos”, como sugere um dos cientistas da expedição.

Dentro da cápsula, há um homem e uma mulher. Os eventos são narrados pelo Dr. Simon, que não esconde que se apaixonou pela mulher. Ambos estão nus e mantidos por um complexo sistema de sobrevivência e são mantidos vivos através de uma máscara de ouro. O interior da cápsula é mantido em um frio abaixo do ponto de congelamento, o que dificulta ainda mais seu acesso. Aos poucos, diversos especialistas de vários países são adicionados à expedição, com o objetivo de resgatar com vida os dois seres humanos.

A expedição, liderada pela UNESCO, logo se vê diante de uma batalha global pelos direitos sobre os dois seres. Os governos começam a interferir, querendo obter privilégios e vantagens de uma descoberta capaz de mudar, para sempre, os rumos da Humanidade. Os cientistas logo se posicionam como neutros e decidem não vincular suas pesquisas a nenhum país, e passam a divulgar, gratuitamente, ao vivo e para todo o mundo, todo o andamento das operações.

O primeiro dilema da expedição é decidir qual dos dois seres humanos deveriam acordar primeiro, pois este correria mais riscos de morrer, afinal, nenhum cientista sabia o que estava fazendo naquelas circunstâncias absurdas. Depois de muito debate, eles optam pela mulher – opção acompanhada de uma justificativa misógina: o homem era mais importante e não podiam correr riscos com ele.

“Assim, enquanto a opinião pública se apaixonava, enquanto a metade masculina e a metade feminina da humanidade investiam uma contra a outra, as disputas estouravam em todas as famílias, entre todos os casais, entre os colegiais e estudantes que se entregavam a discussões ferozes, os seis reanimadores decidiram começar pela mulher.” (A Noite dos Tempos, de René Barjavel)

Quando a mulher acorda, os cientistas se vêem diante da dificuldade de comunicação com ela. Ela faz pedidos e perguntas que não são compreendidos por ninguém. Dr. Simon, já apaixonado por ela (apenas por causa de sua beleza) se propõe a construir um mecanismo de tradução simultânea e, quando este é concluído depois dos esforços dos melhores profissionais do mundo, sabemos que a mulher chama-se Eléa e se alimenta através de uma máquina.

A descoberta da máquina cria um novo conflito mundial, pois promete acabar com a fome do mundo: a máquina extrai energia do Universo, transformando-a em esferas comestíveis que provêm todas as necessidades de nutrição de um organismo. Eléa é pressionada a explicar o funcionamento da máquina e da energia universal, mas diz que somente o homem, chamado Coban, sabe. Enquanto os cientistas aceleram o processo de descongelamento de Coban, Eléa começa a relatar como era a vida há 900 mil anos.

Assim, Eléa conta que os indivíduos de sua época habitavam uma Lua e que cada indivíduo estava designado a passar o resto de sua vida com sua “outra metade”, definida no nascimento através de exames genéticos, biológicos e morfológicos. Quando a “outra metade” do indivíduo era encontrada, ambos deveriam permanecer juntos, de preferência em uma relação amorosa que gerasse filhos. Eléa fora designada a Paikan, com quem viveu um romance intenso e profundo.

“— Nem todo o mundo é capaz de ser feliz. Há casais que, simplesmente, não são infelizes. Há aqueles que são felizes e os que são muito felizes. E há alguns que a Designação obteve um sucesso absoluto, e cuja união parece ter começado no início da vida do mundo. Para estes, a palavra felicidade não é suficiente.” (A Noite dos Tempos, de René Barjavel)

Eléa também conta sobre a guerra da Lua, dividida entre duas facções (gonda e enisores) que começaram uma guerra que terminou por destruí-la. Coban, o maior cientista de sua sociedade, foi o criador da fórmula capaz de transformar a energia universal em alimento e, por isso, foi escolhido para ser congelado e perpetuar a sociedade na Terra. Eléa era uma das cinco mulheres escolhidas para o congelamento mas, como as outras quatro mulheres ficaram indisponíveis (por diversos motivos), sobrou apenas ela, que se viu separada para sempre de Paikan.

Barjavel adiciona algumas extrapolações, como Marte ser habitada por seres negros que, posteriormente, teriam vindo para a Terra e iniciado a raça negra aqui. Além disso, a tecnologia futurista inventada por ele é muito criativa e empolgante. A melhor parte da estória é o plot twist no final. Não entrarei em detalhes pois não quero estragar a narrativa com spoilers, mas Barjavel me conquistou com o trecho final do enredo. Inesperado e dramático, foi o ápice perfeito para uma estória muito bem escrita. É uma leitura de ficção-científica que recomendo bastante.” http://perplexidadesilencio.blogspot.com.br/2017/11/sugestao-de-leitura-noite-dos-tempos-de.html

Outro romance de René Barjavel é Devastação. Muito bom livro. Quando vejo pessoas fugindo de seu pais de origem por guerras ou problemas climáticos, sempre lembro dele.

Somos em parte o que vemos, ouvimos, sentimos, lemos, pensamos, percebemos, nos interessamos. Por nós mesmos e pelo que é compartilhado por todos. Além da superfície, além do além.

🤗

Publicado em Ciências, cultura, educação, Livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Imprimindo a cidade

Literalmente.

🙄

 

Publicado em cultura, educação, Meio ambiente, Organizações | Marcado com , , | Deixe um comentário

Impressoras 3D – próximo nível.

print-your-city-gif

Estas esculturas mobiliário podem ser moldadas com impressoras 3D CNC, por qualquer interessado na técnica. Logo mais, todos os interessados terão  impressoras 3D em casa, para imprimir qualquer modelo pronto ou criar novidades com elas, como calçados, acessórios, utilitários diversos,  usando resíduos plásticos.

Raw lançou o Zero Waste Lab, na Grécia, numa iniciativa de pesquisa em que os cidadãos gregos puderam transformar lixo plástico em mobiliário urbano. Parte do projeto maior Print Your City, a iniciativa utilizou um braço robótico e a reciclagem para a criação de peças de mobiliário personalizadas que fecham o ciclo dos resíduos de plástico. A iniciativa visa usar fragmentos de produtos reciclados para redesenhar espaços públicos dentro das cidades. 

Os protótipos iniciais do Zero Waste Lab foram impressos no verão de 2018. A meio caminho entre vasos de árvores, bancos e mobiliários de rua, as peças foram projetadas para incentivar a interação dos cidadãos de Thessaloniki. Para reduzir o prazo de produção, o New Raw decidiu melhorar a qualidade dos materiais e otimizar as opções de design. A segunda fase da iniciativa foi lançada oficialmente com a inauguração do Laboratório Zero Waste, onde os cidadãos podem aprender sobre o processo de reciclagem do plástico, ler sobre economia circular e projetar novos itens de mobiliário para seus bairros.

😊

Publicado em Arte, Ciências, cultura, educação, Meio ambiente, Organizações, sustentabilidade | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Sede de dominação

eduardogaleano

A humanidade precisa ultrapassar esta fase e virar o jogo. Muitas pessoas  se acham donas da verdade e só são favoráveis a quem pensa como elas, são surdas e cegas ao seu entorno, com sua visão limitada e ensimesmada da vida.

Há quem tenha, por egoísmo, maldade, mediocridade, este estilo de viver. Se esquecem do planeta, da natureza,  de sua comunidade. Muito do que poderia ser feito por cada um de nós, acaba se perdendo, por pessoas que se acham no direito de impedir o próximo em suas iniciativas, por se julgar superior. Imaginem como o mundo seria melhor,  se as ideias bloqueadas por interesses de outrem fossem disseminadas e filtradas por êxito e não pelo desejo do outro. Quantas coisas são criadas para o bem comum e não vem a público?!

“A Síndrome do pequeno poder faz com que as pessoas venham a imaginar que detêm um poder maior do que as outras. Muitas vezes este poder imaginário é proveniente de tradições de fundo dogmático, religiosas, pela força bruta e/ou abuso de pessoas fisicamente e/ou psicologicamente mais vulneráveis ou por deficiências de relacionamento interpessoal, ou mesmo distúrbios de personalidade, por parte do agente. O problema é quando ele é usado confrontando a legislação atual seja no caso de um espancamento de um filho, cônjuge ou idoso, na perturbação do sossego ou no assédio moral em ambientes de trabalho.

No caso da violência contra as mulheres, foi criada no Brasil a lei Maria da Penha, a qual ajuda vítimas, mulheres, que sofreram com abuso em casa. No caso da violência contra crianças e adolescentes, foi criado o estatuto da criança e do adolescente. É válido notar que mesmo antes da existência da lei Maria da Penha, o Artigo 129 do Código Penal Brasileiro já versava em seus parágrafos 9, 10 e 11 sobre o aspecto agravante da pena em caso de agressão contra familiares, fossem eles ascendente, descendente, irmãos, cônjuge ou companheira/o, ou com quem conviva ou tenha convivido, ou, ainda, prevalecendo-se o agente das relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade.

Este síndrome traduz-se num tipo de violência que atinge tanto mulheres como homens, independentemente de estatuto, profissão ou idade. No entanto é de notar que todas as meninas e mulheres são vítimas diariamente em várias áreas e níveis de gravidade: da convivência social à violência doméstica, do acesso à educação às condições laborais, uso fruto de direitos básicos e liberdade. Isto deve-se à prevalência da concepção patriarcal, mesmo nas sociedades ditas desenvolvidas, que assenta precisamente na ideia de que os homens são seres superiores e devem deter o poder em relação também às mulheres.
Coação fazendo uso indevido dos poderes judiciais e sociais, como a denúncia caluniosa, a alienação parental e outros formas de controlo e punição geradas for falsas acusações de violência .”     wikipedia.org

Poderiam gastar esta energia, criando soluções para um mundo melhor e mais justo para todos.

Pequenas ações podem revolucionar o mundo. Quando vão  acordar para  e enxergar, ter empatia e solidariedade sem parcialidade?!

🙄

Publicado em cultura, educação | Marcado com , | Deixe um comentário

Flor de Sal – Mar, poesia e internet sem fio.

#nomadedigital #poesia #barcos #veleiro #flordesal

 

Publicado em cultura, Entretenimento, Viagens | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Ponto de vista: Busca cega pelo dinheiro e suas consequências.

Papo muito sério. Difícil e importante.

Conversa entre um EX-TRAFICANTE e uma MÃE de um DEPENDENTE QUÍMICO:

Já chorei e choro muito vendo nossos meninos e meninas se perderem na vida.

Sonho com um mundo mais justo.  Que Deus nos ajude!

(|)

Publicado em cultura, educação, Familia, Notícias e política | Marcado com , , | Deixe um comentário